Luciana, uma vendedora de picolé que merece o seu respeito – Satirinhas
Satirinhas

Luciana, uma vendedora de picolé que merece o seu respeito

Hoje você vai conhecer a inspiradora história de uma jovem de 17 anos chamada Luciana. Ela resolveu contar sua trajetória de superação nas redes sociais e tudo o que passou em busca de dinheiro para o próprio sustento e melhoria de vida.

A história atraiu muitos olhares e milhares de curtidas, principalmente pela simplicidade e sinceridade com que Luciana divulgou como ganha a vida.

Inspire-se com a força de vontade de Luciana

Luciana é de Bananeiras, na Paraíba e vai na contramão do que muitos jovens apreciam hoje em dia. Percebemos muitos adolescentes que querem ser populares e mostrar para o outro que possuem as melhores roupas e os melhores sapatos.

Luciana ressalta que tem orgulho de, atualmente, vender picolés para ganhar a vida. Utilizando um carrinho de mão, ela anda pelas ruas da histórica cidade de Bananeiras realizando as vendas, todavia, sob o olhar preconceituoso de parte da população.

Na postagem feita em sua página no Instagran ela lamentou o fato de algumas pessoas se espantarem por ela estar sob o sol quente, se esforçando, para ganhar o próprio dinheiro honestamente (como se isso fosse motivo de espanto ou reprovação. Será que o bonito é ser ladrão e vagabundo?). 

Veja o relato:

uma vendedora de picolé que merece o seu respeito

Você também pode ver a postagem original, que teve mais de 60 mil curtidas, no Instagram de Luciana aqui

O texto na íntegra

Se quiser compartilhar o texto, reproduzimos para você a seguir:

“Faz 3 anos que vendo picolé e ainda tem gente que fica espantado quando falo sobre isso. É como se uma menina de 17 anos que sai no sol quente para ganhar seu próprio dinheiro, fosse coisa de outro mundo.

Eu já passei por muitas coisas nesse tempo, quantas e quantas piadinhas desrespeitosas que chega dá pena do ser humano, quantos dedos apontados pra mim como se o que tivesse fazendo fosse errado, quantas risadinhas de meninas que querem ser o que não é, não é fácil. Já ouvi muitos pais falando que a filha ou a vizinha tinha vergonha de trabalhar, vergonha de vender algo, que me olhavam e diziam: “quanta coragem” ou “Deus me livre”.

Meninas e até meninos todo trabalho é digno, e nada na sua vida cai do céu, vocês não precisam trabalhar só se tiver passando necessidade, até pq eu não passo, mas resolvi sair da asa dos meus pais para poder ter dinheiro e comprar minhas próprias coisas. Nunca deixem de fazer algo por vergonha, por medo do que vão pensar, medo se o boy não vai querer mais, medo se os amigos vão se afastar, se caso isso acontecer é pq nenhum merecia vocês ao lado deles, sei que esse é o medo.

Esse é só o início da minha caminhada, e sou grata por cada um que faz parte dela e que nunca me deixa desanimar, sempre com palavras de apoio e carinho.”

Luciana, Bananeiras, PB

uma vendedora de picolé que merece o seu respeito

Uma história como essa é o tipo de exemplo que estamos precisando em nosso país, e merece ser compartilhada! Saia espalhando para o maior número de pessoas possíveis!

[supsystic-gallery id=’527′]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima