A saideira que nunca acaba e o efeito anestésico do vício

A saideira que nunca acaba e o efeito anestésico do vício

Quem possui algum tipo de vício vive preso a essa triste realidade e precisa de ajuda. Todo vício tem um efeito anestésico, reduz a percepção e “tira o indivíduo da realidade”. Digo entre aspas, pois a realidade continua a mesma, o indivíduo é que fica tão prejudicado pelo vício que acaba não mais percebendo nada. Se esconder nos vícios é covardia, é tentar fugir da realidade, mas quando chega em um ponto grave, o indivíduo precisa de ajuda especializada.

Existe também até um círculo vicioso no trabalho, que afeta muitas pessoas. A verdade é que os vícios estão presentes em diversas realidades, mas hoje vamos focar em no vício do álcool, principalmente por ele ser permitido e ainda estimulado pela grande mídia.

O vício no álcool anestesia

O vício no álcool anestesia
A saideira que nunca acaba. Fonte: QuadrinhosBe.

Sabe aquela saideira que nunca acaba? Quem já bebeu com os amigos sabe como isso acontece, e dependendo da situação, do ânimo da noite ou do dia, a pessoa vai ficando um pouco mais até perder totalmente a noção do que está fazendo.

No dia seguinte, a ressaca moral, o esquecimento, os pequenos flashes de memória e as fotos, as pessoas rindo do que foi feito. Para muitos, essa vergonha só é esquecida na próxima bebedeira, ao agredir o cérebro com uma quantidade maior de álcool para que novamente ele fique anestesiado. Por que tanta gente tem tentado fugir da realidade dessa maneira?

Fica a pergunta para análise e você pode compartilhar esse artigo com pessoas que precisam mudar de vida. Pensar na situação e assumir que precisa de ajuda é o primeiro passo.

Curtiu o conteúdo? Entre para o nosso clube de leitores:

[mc4wp_form id=”13376″]

Veja também:

[supsystic-gallery id=’572′]

1 comentário em “A saideira que nunca acaba e o efeito anestésico do vício”

  1. Pingback: Links da Semana – Aziume #98 - Aziume - Blog de humor com merda na cabeça! | Aziume – Blog de humor com merda na cabeça!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima