Não caminhe nas trevas.
Quadrinhos Católicos

Não caminhe com alegria pelas trevas pensando que está fazendo algo bom

Existe uma falsa sensação de alegria e satisfação para aqueles que andam nas trevas do pecado. O inimigo torna tudo fácil, agradável e atraente para que o máximo de almas se percam, e é por isso que o pecado envolve tanta gente. Além de nossa natureza ferida pelo pecado original, atualmente são tantos instrumentos usados para o mal, tantas más influências na televisão, na internet e pessoalmente, que só poderemos vencer com a graça de Deus.

Veja também:

O inferno existe e não está vazio

Ao contrário do que alguns “pensadores modernos” dizem, o inferno existe e não está vazio. Há muitas passagens no Novo Testamento que indicam o grande número de homens (grande de verdade) que caem na desgraça eterna. Como aquela em que um homem perguntou a Jesus (Lc 13, 23-28):

– Senhor, são poucos os homens que se salvam?

O Mestre respondeu:

– Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, porque vos digo: muitos tentarão entrar e não conseguirão. Uma vez que o dono da casa se levante e feche a porta, ficareis fora.

Em outro trecho, Jesus acusou os doutores da Lei e fariseus hipócritas de fecharem o Reino dos Céus aos homens com suas falsas doutrinas (Mt 23,13). E depois de os advertir com palavras duras, questionou:

“Serpentes! Raça de víboras! Como escapareis ao castigo do inferno?” (Mt 23,33).

O quadrinho acima foi uma inspiração para alertar todos aqueles que caminham alegremente pelas trevas e zombam a Deus com deboches e todo o tipo de desrespeito. São muitos os que estão nessa aparentemente prazerosa jornada, mas o destino para aqueles que não se arrependem é simplesmente desesperador.

Se sente que esse artigo pode tocar o coração de alguém e precisa alcançar mais pessoas, não deixe de compartilhar.

Autor

Católico Apostólico Romano, Publicitário, funcionário público, ilustrador e blogueiro. Apreciador de quadrinhos, artes e tudo o que pode transformar vidas para melhor. Acredita que fé em Deus, conhecimento, troca de informações e experiências podem ajudar a construir um novo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *