5 dicas para você ajudar seu filho na rotina de estudos

5 dicas para você ajudar seu filho na rotina de estudos

Assim como os professores da escola, os pais de crianças e adolescentes em formação acadêmica possuem extrema responsabilidade com o ensino, seja ele voltado apenas às rotina de estudos ou para vivências humanas.

No entanto, nem todos os pais conseguem acompanhar seus filhos da maneira que gostariam, algo que pode atrapalhar seriamente o futuro desses pequenos grandes cidadãos.
Para isso, confira ao longo do texto algumas explicações de como rotinas de estudo podem modificar o crescimento positivamente, e como você pode implementar a ajuda à educação de seu filho sem ter que deixar tudo na mão de um notebook novo ou um celular.

A importância do acompanhamento dos estudos

Desde o momento de introdução das crianças nas escolas, cada parte de estudo e treinamento que ela passa até a chegada ao ensino superior, é importante e deve ser, sempre que possível, acompanhada por pais ou responsáveis.

É ao longo dessa fase de crescimento que muitos ensinamentos relacionados aos diferentes tipos de aprendizagens começam a surgir, tornando-se importantes para a formação intelectual, política e até mesmo básica desses pequenos cidadãos.

Nessa situação, mesmo que sejam as escolas as condutoras desse ensinamento múltiplo, que muitas vezes se transforma em tarefas, atividades práticas ou até mesmo estudos particulares, a função dos pais como acompanhantes do processo se torna essencial.

Esse papel paternal e maternal, ou até mesmo de responsáveis de uma criança ou jovem adulto em formação, vão desde a providência de ambiente de estudo adequado, até o acompanhamento em dúvidas e perguntas que possam surgir.

É importante entender que nem todas as crianças – ou até mesmo pessoas adultas – têm a facilidade de estudar como autodidatas, ou seja, sozinhas não conseguem aprender tudo o que é ensinado, seja por meio de revisões ou treinamentos.

Pelo contrário, muitas vezes é nas idades mais próximas da infância que alguns tipos de dificuldades surgem, no momento da aprendizagem de matérias, como em problemáticas voltadas à produtividade de disciplina.

Por isso, é essencial que exista um acompanhamento próximo e interessado das atividades infantis e adolescentes, de modo a complementar aquilo que é ensinado nas escolas.

Por exemplo, uma escola particular infantil, pensando na integração de pais e alunos na hora dos estudos, pode passar atividades complementares que tivessem temáticas de pesquisa pessoal, como entrevista com parentes e pesquisas em arquivos pessoais.

Não é difícil encontrar alguns casos de pais que, por terem condições de matricularem seus filhos em escolas particulares, acham que todo o esforço de ensinamento está nas mãos de professores, e que não deve ser complementado em casa.

No entanto, estudantes de escolas públicas, que passam por todas as situações que desfavorecem um ensino com a máxima qualidade, como falta de professores e materiais de sala de aula, devem ser ainda mais acompanhados.

É preciso que os responsáveis se interessem e criem um forma de relacionamento onde o que é aprendido na escola possa ser complementado dentro de casa, mesmo que de maneira mais sutil e menos focada.

Situação esta que se modifica caso a caso, procurando entender a realidade daqueles responsáveis que acabam não tendo condições relacionadas ao tempo e disponibilidade.

O papel dos pais no acompanhamento

Conforme explicado, o ideal é que ocorram acompanhamentos mútuos nos processos de educação de crianças e adolescentes, endossando então ensinamentos para que sejam formados pensamentos críticos e conhecimentos mais concretos.

No entanto, nem todas as realidades são as mesmas. Alguns pais que trabalham ao longo do dia nem mesmo conseguem chegar no horário na creche infantil particular para buscar seus filhos, por exemplo.

Muitas pessoas precisam trabalhar boa parte do dia para gerar condições para famílias, o que acaba transformando uma conexão de estudos entre pai e filho em uma realidade não existente, consumindo as expectativas de ambos os lados.

Por exemplo, uma mãe que trabalha com vendas tem apenas a oportunidade de deixar um filho na escola, que no caso será buscado por um outro familiar com tempo livre. Nessa situação, o alto nível de trabalho acaba anulando qualquer chance de acompanhamento.

No entanto, existem pais que mesmo sem nenhum tipo de instrução, e trabalhando em horários desgastantes, conseguem adaptar horários e oportunidades para conferir tarefas e ajudar no estudo dos filhos, complementando o que é aprendido na sala de aula.

Novamente, nos dois casos, é possível ver uma diferença de realidades, que acabam proporcionando comportamentos e relacionamentos diferentes, exemplos mínimos em relação à quantidade do que acontece, em termos reais, tanto no Brasil como no mundo.

A verdade é que mesmo com inúmeras dificuldades e obstáculos, o ideal é que pais ou responsáveis tentem, pelo menos, criar algum tipo de rotina relacionada à troca de informações e ensinamentos dos filhos.

Muitas crianças, que acabam não tendo nenhum tipo de atenção dos pais, mesmo que para retirada de dúvidas escolares simples, podem acabar apresentando outros tipos de problemáticas relacionadas ao comportamento, disciplina e sentimentos.

Por isso, sempre que possível, procure algumas dicas para alinhar rotinas de estudo ou conversa com seus filhos no período educacional inicial, com o dia a dia de trabalho e estilo de vida que você vive como adulto.

Dentre os benefícios desse acompanhamento estão relações mais conectadas e próximas, auxílio em eventuais problemáticas, descobrimento de obstáculos, como por exemplo, o possível uso de óculos ou aparelho de surdez, dentre outras questões.

Nem sempre as atividades de união entre pais e filhos precisam, necessariamente, ser guiadas por livros e cadernos de estudos. Pelo contrário, uma  aula de violão infantil, conversas descontraídas e próximas com as crianças também são ótimos facilitadores.

Dicas para ajudar no acompanhamento escolar

A seguir, conheça algumas das principais dicas que certamente irão te auxiliar a cultivar o hábito de acompanhar seus filhos na educação escolar. 

1. Crie rotinas de encontros

Antes de tudo, entenda como a sua rotina de trabalho pode ser mesclada com a rotina de acompanhamento de estudos de seu filho, e crie possibilidades de encontros baseadas nas agendas de ambos.

Por exemplo, se seu dia de folga for em determinado dia da semana, a partir de determinado horário, procure buscar seu filho na escola e proporcionar um momento de descanso ou lazer.

Em seguida, prepare os materiais para uma revisão, em um local propício da casa, onde o silêncio reine.

2. Acompanhe o boletim de seu filho

Para que a supervisão dos estudos se torne um rotina, e que as soluções para eventuais problemas ocorram rapidamente, procure ter como principal tarefa o contato com a escola para saber sobre notas, comportamentos e possíveis dificuldades.

Sobre as notas, procure sempre entender quais são as matérias nas quais seu filho mais tem dificuldade e quais são aquelas em que ele tem mais facilidade. Esteja sempre por dentro das evoluções de sua criança, e celebre conquistas com uma lembrancinha de chocolate, por exemplo, mas sem exageros, ok?

3. Faça revisões de assuntos bimestralmente

Mesmo que seu filho mostre que sabe de todo o conteúdo, ou até mesmo apresente bons resultados no boletim, procure fazer revisões de tempos em tempos, tanto para fixar conteúdos quanto para treinar seus conhecimentos sobre algum assunto.

Esse momento também é interessante para que você fique por dentro de tudo o que ele veio estudando ao longo do tempo, o que pode sugerir uma aproximação maior com a realidade escolar dele, mesmo que você tenha rotinas atribuladas.

Se puder, invista em um caderno com encadernação capa dura para guardar como local de resumos e revisões, algo que esteja fora daquilo solicitado pela escola, sendo então uma forma de ligação entre você e a educação de seu filho.

4. Converse com seu filho sobre o que ele aprende

Muitas crianças gostam de ser ouvidas, receber atenção e gostam que pais e responsáveis participem da escola e de suas atividades, mesmo que eles não apresentem dificuldade.  Por isso, procure sempre conversar com seu filho sobre o que ele aprendeu.

Se puder, pergunte para ele todos os dias quais os conteúdos que ele tem aprendido na escola, sobre o que teve mais curiosidade e achou mais interessante e quais aqueles que ele teve certa dificuldade, dosando então os tipos de estudos extras que devem ser feitos.

Uma boa atividade é fazer com a criança um calendário personalizado com fotos, conduzindo neste todos os estudos feitos ao longo do ano, e quais ele mais gostou de aprender. Procure sempre ajudá-lo a montar esses materiais dinâmicos.

5. Use a tecnologia a favor da educação

Por fim, opte por usar a tecnologia a favor da educação de seus filhos, mesmo que essa seja, atualmente, uma das vilãs do aprendizado, por conta de sua forma de uso quase viciante por crianças e adolescentes.

Procure explicar para seu filho que na internet, ele pode achar os seguintes complementos para estudos:

  • Pesquisas;
  • Curiosidades;
  • Significados.
  • Imagens e vídeos para estudo.

Então, crie uma familiaridade com a internet em relação à leitura e ao estudo, explicando que existe a possibilidade da ferramenta ser mais do que uma fonte de diversão e descontração.

Considerações finais

Seguindo as dicas acima, você poderá ajudar ainda mais no processo de educação do seu filho, lembrando-se sempre que você e a escola trabalham juntos para a construção de conhecimento, algo que jamais pode ser tratado como irrelevante.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima