eu faço o que quero e ninguém manda em mim
Quadrinhos Católicos / Religião

Eu faço o que quero e ninguém manda em mim, mas faço muito mal a mim mesmo

Muita gente sem se orgulhado com muita vaidade sobre se dono de si mesmo. “Meu corpo, minhas regras” e outros gritos de independência estão na boca de pessoas que não aceitam conselhos dos mais experientes e querem fazer tudo do seu jeito. O problema é que, dessa forma, muitas atitudes precipitadas são tomadas e os erros e pecados vão se acumulando. Por que falo isso? Porque foi o que aconteceu comigo.

Veja também:

O orgulho de defender o meu erro até o fim

Na cultura do ódio, tornou-se habitual criar uma opinião (muitas vezes sem base) e defendê-la até o fim, sem ouvir pessoas e instituições que possuem credibilidade. Quando desprezamos os valores mais indispensáveis e nos afastamos da vontade Deus, sempre caímos em um grande vazio e nos afundamos no erro.

Em determinada época da minha vida, eu dizia “faço o que quero”, sem perceber que vivia na prisão dos vícios e do pecado. Eu não fazia o que queria, mas fazia coisas impensadas, sem nenhum sentido, em busca de uma alegria que durava pouco. Para me tirar dessa condição, só mesmo o toque da graça de Deus. Você já teve a sensação de um grande vazio e falta de sentido? Conhece alguém que busca a felicidade em coisas que não têm valor?

Autor

Católico Apostólico Romano, Publicitário, funcionário público, ilustrador e blogueiro. Apreciador de quadrinhos, artes e tudo o que pode transformar vidas para melhor. Acredita que fé em Deus, conhecimento, troca de informações e experiências podem ajudar a construir um novo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *