14 quadrinhos sobre as mulheres que vão tirar qualquer um do sério

A vida das mulheres não é nada fácil. Já não basta ganhar menos que os homens, sofrer assédio, violência e preconceito, agora muitas delas também viram piadas e memes na internet. Mas quando a brincadeira é sadia e é feita também por uma mulher, tudo bem. Assim são os divertidos, interessantes e bem feitos quadrinhos de Meg Quinn. A talentosa artista compartilha suas artes no Instagram e conquista vários seguidores a cada dia. Vamos conhecer um pouco mais de sua obra?

5 quadrinhos que mostram alguns dramas das mulheres

As mulheres possuem um universo particular que os homens não conseguem decifrar. Para eles, é muito difícil entender as necessidades, desejos, vontades e devaneios delas. Na verdade, algumas mulheres não conseguem entender suas próprias amigas e podem dar conselhos totalmente prejudicais, além da famosa inveja ou da incompreensão que existe e cria uma disputa entre algumas. É melhor dizer que existe um grande universo complexo dentro de cada mulher. 

A inveja das mulheres e outros quadrinhos de Entre as Sarjetas

Quadrinhos podem divertir, fazer rir, surpreender e também fazer pensar. Na verdade, nesse tipo de arte podemos viver várias sensações e é muito bom admirar o trabalho e valorizar quando se encontra uma boa obra. Para fazer um bom quadrinho, é necessário um bom roteiro e talento para dar vida a tudo nos traços do artista. Não é nada fácil dedicar tanto tempo e receber insultos e comentários ofensivos online (como já recebi algumas vezes em minhas criações). 

Se dependurar de cabeça para baixo pode ser muito perigoso

A mente humana é muito complexa e cada pessoa possui um grande universo dentro de sua cabeça. Dessa forma, pensamentos inesperados e ideias que podem parecer estranhas são consideradas normais do ponto de vista científico. Principalmente quando somos jovens ou crianças, somos amplamente influenciados por adultos ou exemplos de outros jovens e crianças. Nessa fase da vida, é perigoso tentar seguir vídeos como os do “desafio do desodorante” ou “baleia azul”. Por isso, as crianças precisam de constante acompanhamento e conselhos dos mais velhos.