5 dicas para você passar na prova prática da autoescola

Independentemente da cidade ou do local onde você mora: passar na prova prática e tirar uma carteira de motorista para dirigir seu próprio carro é, de certa forma, uma maneira de ser livre, tanto no quesito de locomoção quanto em possibilidades financeiras.

Atualmente, muitas pessoas têm utilizado o transporte como uma nova forma de ganhar dinheiro e conquistar objetivos, como no caso de empresários donos de táxi de luxo, motoristas de aplicativo e entregadores de comida.

Apesar de extenso e um tanto desafiador, o processo de retirada de habilitação é essencial para testar o conhecimento de um futuro motorista, principalmente antes de colocá-lo para dirigir um automóvel, junto a tantas outras pessoas.

Para conseguir essa permissão, é necessário não somente querer, mas sim provar que você tem capacidade intelectual, física e mental para tal. E em meio a tantas provas, às vezes a conquista de uma habilitação acaba se tornando algo complicado e maçante.

direção
Fonte da imagem: Pexels.

Atualmente, os motoristas passam por duas etapas. A primeira envolve uma prova escrita, que é realizada após um número determinado de aulas para tirar CNH, ministradas em autoescolas da preferência do condutor.

A segunda parte consiste em aulas práticas e em aparelhos que reproduzem a automação de carros, motos ou qualquer outro tipo de veículo que você queira tirar uma carteira.

Essa fase acontece, ainda, em veículos de aprendizagem, geralmente modificados para que o acompanhante do condutor, que muitas vezes é um professor ou um auxiliar, consiga cooperar e ajudar o aluno em ocasiões de dificuldade, sem colocar ambos em perigo.

De acordo com a resolução Nº 168/2004 do Conselho Nacional de Trânsito, o Contran, são necessárias pelo menos 25 horas de aulas práticas para a retirada da carteira de carro, também conhecida como categoria B, e 20 horas para carteira de moto A.

Após o cumprimento de todas as etapas, chega o tão esperado dia da prova final. Conforme a legislação do Departamento de Trânsito, dois movimentos serão levados em consideração na hora da avaliação: estacionar e fazer uma baliza, e andar em uma via urbana ou rural.

A baliza nada mais é do que o movimento feito pelo motorista para direcionar o carro ou moto para uma vaga, ou para sair dela. 

Existe um tempo máximo de cinco minutos e mínimo de dois para a realização da manobra. Essa regra pode mudar de um local para outro.

Na segunda parte da prova, que simula um passeio comum por vias onde outros carros também estão presentes, alguns movimentos principais são avaliados em determinados obstáculos, que devem ter um número mínimo para avaliação.

Dentre eles está:

  • “Ziguezague” por meio de cones alinhados;
  • Elevação da pista principal para um outro plano;
  • Sonorizadores com réguas de largura e comprimento definidos;
  • Duas curvas sequenciais;
  • Duas rotatórias.

Existem especificações próprias para cada uma das etapas mínimas, e todas elas são informadas pelos professores de condução e também na primeira aula de direção.

Por que a prova é dita como tão difícil?

Igualmente a qualquer outro tipo de prova ou simulado, é necessário o estudo e revisão prévia, bem como uma preparação e concentração para a realização do teste.

Atualmente o Brasil é considerado um país com altos índices de acidentes de trânsito, por isso é essencial que as autoridades e órgãos competentes treinem e avaliem bem novos condutores, diminuindo possíveis irregularidade e até erros, estes que podem ser fatais.

É bom lembrar, ainda, que carros, motos e os demais transportes regulamentados para condução urbana ou rural podem ser “armas” nas mãos de quem não sabe utilizá-los. 

Dirigir é um ato de independência, mas também deve ser uma decisão consciente, pois ao se juntar a milhares de outros motoristas, você estará diariamente propício a acidentes. Por isso, é necessário minimizar a quantidade de erros humanos.

Esses e outros fatores fazem com que a prova final seja uma situação para que erros sejam praticamente inexistentes. 

É compreensível que uma ou outra lição acabe confundindo ou sendo esquecida, mas além desse limite básico, a carteira moto e carro se torna algo muito difícil para alguns.

Quem não estuda, não se prepara bem e confia no pouco que aprendeu, acaba não conseguindo passar na prova, justamente por não se atentar aos detalhes necessários e supervisionados pelos avaliadores.

Está nervoso sobre como vai se sair na prova? Siga essas dicas preciosas e garanta agora sua carteira, sem truques e de forma totalmente clara.

1 – Trabalhe o seu nervosismo

É muito comum que antes de provas importantes, onde temos que testar nossos conhecimentos e mostrar excelentes desempenhos, fiquemos um tanto nervosos e apreensivos com nossos próprios resultados, mesmo que saibamos o assunto.

Para isso, é necessária uma preparação tanto física quanto psicológica, afinal é com ele que vamos mostrar nossas habilidades, ainda mais em uma prova de habilitação, onde erros serão vistos como cruciais.

Procure relaxar um ou dois dias antes. Faça leituras leves, veja filmes descontraídos e tente esquecer um pouco sobre o dia da prova. É essencial que você pare um pouco de focar nisso para lembrar de cuidar de você, que é a pessoas mais importante da prova.

Saiba que isso deve ser um ponto a ser trabalhado sempre, antes ou depois do teste. Mesmo depois de passar na avaliação, muitas pessoas seguem com um alto nervosismo, muito também pelo desafio que é dirigir um automóvel.

Algumas acabam até tirando a habilitação, mas não costumam dirigir, principalmente por medo, nervosismo ou insegurança. Muitas procuram aulas de volante para habilitados, justamente para tratar essas sensações, que acabam, infelizmente, tornando-se constantes.

2 – Revise tudo

Muitas vezes temos como ato comum achar que sabemos de tudo, que não temos dúvidas sobre nada e que toda a situação está sob controle. 

Uma pergunta, você sabe onde a chave canivete codificada deve ficar dentro do veículo?

Se sua resposta é não, acho que você deve estudar um pouco mais!

Claro que ter confiança e pensar positivo é ideal para grandes provas, como a da habilitação, mas você não pode confiar apenas no que acha que sabe.

Em outras palavras: revise tudo o que aprendeu até antes da prova. Leia, revise dúvidas, faça perguntas para si mesmo ou solicite que outra pessoa faça perguntas para você. Tudo é válido para não deixar nenhuma informação importante de lado.

3 – Alimente-se e durma bem

Novamente, essa é uma prova importante, e você provavelmente investiu caro nas aulas e nas atividades. Não deixe que pequenos detalhes façam você remarcar a prova ou até mesmo fazê-la de qualquer jeito. 

A partir do momento que você souber a hora e o dia exato da prova, procure se programar, na escola, no trabalho ou em compromissos familiares. Escolha também dormir cedo dias antes da prova, para seu corpo acordar bem e disposto na data da avaliação.

A alimentação nessa fase também é essencial. Evite comer gorduras e frituras pouco antes da prova. Sabemos que alguns alimentos com baixa taxa de nutrição são muito gostosos, mas eles podem ter ações imprevisíveis, que podem ocorrer, ainda, no meio do seu teste.

Se puder, consuma frutas, verduras, beba bastante água e evite bebidas alcoólicas ou uso de drogas. Quanto mais atento e saudável você estiver, melhor será a situação a seu favor.

4 – Fique atento aos detalhes

Se até aqui você já se preparou, revisou o conteúdo e compreendeu seus erros, grande parte do processo para você se dar bem na prova já está concluída.

Ao entrar no veículo, seja ele qual for, fique ligado para fazer exatamente o que é sugerido. Não invente novos movimentos, novas rotas ou tente ousar. Esse é o momento de fazer exatamente o que você treinou.

Se você tem alguma dificuldade e já notou que ela pode ser um problema geral, como no caso de uma baliza de moto, por exemplo, lembre-se das dicas dadas pelos orientadores, inclusive por aquele seu conhecido que trabalha como motoboy para delivery.

Fazer o máximo de movimentos que lembram uma normalidade ou algo usual do dia a dia mostra que você tem habilidade e, principalmente, que tem a confiança e a responsabilidade de usar uma máquina.

5 – Separe a imagem do avaliador de alguém ruim

O avaliador estará sempre ao seu lado, não para julgar ou desejando que você erre, mas sim para verificar se tudo aquilo que você já sabe está sendo colocado em prática.

Muita gente acaba tendo um certo medo ou receio da presença desse profissional, mas com certeza é algo a ser evitado sempre que possível.

Para quem tem dificuldade em estabelecer essa calma ao saber que tem alguém avaliando, uma ideia é imaginar que aquela pessoa é conhecida sua, simbolizando alguém que você confia e que não vai te deixar nervoso.

De resto, faça seu trabalho conforme tudo que foi estudado e ensinado, confie na sua habilidade de direção e conquiste a sua independência!

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.