utilidades

utilidades

Saiba as vantagens de adquirir um seguro automotivo

O seguro automotivo é uma necessidade para todo mundo que possui um carro ou moto. Não apenas porque ele protege em casos de roubo ou furto, mas também pelo fato de poder te auxiliar em situações inesperadas, como acidentes e problemas com o automóvel.

De qualquer forma, o que mais pesa na hora de contratar um seguro é a insegurança. Infelizmente, no Brasil, o roubo de carros é uma prática comum e alguns modelos são mais visados pelos ladrões do que outros.

Comprar um veículo e perdê-lo é um grande prejuízo, principalmente para quem ainda está pagando o financiamento. O melhor a se fazer, então, é prevenir essas situações.

Quem tem seguro está mais protegido, não apenas contra roubos e furtos, mas também contra imprevistos que podem dar um pouco de dor de cabeça.

Ou seja, existem inúmeras razões para você proteger o seu carro ou moto com um bom seguro agora mesmo, e poder usá-lo por aí tranquilamente.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o que é seguro automotivo, como funciona, sua importância, além de seus tipos e quais são as vantagens.

Temos certeza de que depois de ler este texto, você estará pronto para escolher o melhor seguro para o seu automóvel. Vamos lá!

seguro para automóvel
Fonte da imagem: Pexels.

O que é seguro automotivo?

Para não restar dúvidas ao longo deste texto, neste primeiro momento, vamos explicar o que é seguro automotivo.

Também conhecido como seguro veicular, no Brasil, ele é dividido em dois grupos, sendo o seguro obrigatório (DPVAT) e o seguro opcional, pago à parte pelos proprietários de veículos, caso desejarem.

O seguro opcional garante uma indenização para diversas ocorrências a que estão sujeitos os motoristas, tais como:

  • Acidentes de trânsito;
  • Roubo ou furto;
  • Fenômenos naturais;
  • Danos a terceiros;
  • Entre outros.

Então se, por exemplo, você se envolveu em um pequeno acidente e amassou a lataria de um veículo terceiro, a seguradora garante o martelinho de ouro pequenos amassados para reparar os danos.   

As coberturas podem ser personalizadas, de acordo com as necessidades dos motoristas e também de suas possibilidades financeiras.

O funcionamento do seguro é bem simples. Após ser contratada, a seguradora vai até a concessionária ou ao local onde está o carro e faz uma vistoria.

Nessa vistoria, são levantadas as condições do automóvel, bem como algumas informações, como número de chassi, placa, ano de fabricação, etc.

Feita essa verificação, o proprietário já está segurado e pode começar a usufruir do seguro. Quando houver uma ocorrência, como roubo, por exemplo, basta entrar em contato com a seguradora e abrir o sinistro.

Os trâmites em cada ocasião dependem do contrato, mas tudo o que estiver sendo coberto pelo seguro deve ser cumprido.

Afinal, qual sua importância?

Agora que você já sabe o que é e como funciona o seguro veicular, vamos falar sobre a sua importância.

Tudo o que pertence a um automóvel tem valor, desde o escapamento de carro até o volante. Logo, por mais que não nos damos conta, estamos expostos a diversos riscos diariamente.

Os imprevistos acontecem e eles podem nos expor a despesas inesperadas, como troca de peças, oficinas de funilaria e até despesas hospitalares, em casos de acidentes graves.

Os roubos são situações estressantes porque podem envolver danos ao veículo ou até mesmo a necessidade de comprar um novo, caso não seja mais localizado.

Em situações como essa, fica difícil manter a calma quando não contamos com a assistência de um bom seguro.

Mesmo em situações simples, como consertar um amassado em uma oficina de funilaria, o respaldo de uma seguradora é muito valioso.  

Analisando a sua situação hoje, que tipos de custos você teria condições de arcar se algum imprevisto acontecer com o seu carro?

É importante pensar sobre este aspecto e considerar a contratação de um seguro. Você poderá transitar com o automóvel tranquilamente, sabendo que ocasiões desagradáveis poderão ser facilmente resolvidas.

Não apenas o seu carro estará protegido, como também o seu bolso. O valor que você vai investir no seguro pode assumir despesas muito maiores do que o preço que você vai pagar o ano todo.

Imagine, por exemplo, acertar a traseira de um carro importado. Com certeza as despesas vão doer muito no seu orçamento.

Sem falar que, se você ainda estiver pagando o financiamento do seu carro ou moto, ou ainda tiver acabado de fazer a troca de oleo motor e outras manutenções, não terá que lamentar caso ele seja roubado.

Acredite, é mais comum do que você possa imagina ter o carro roubado antes mesmo de pagar a primeira parcela e nunca mais encontrá-lo. Ou seja, a pessoa vai arcar com o pagamento de um financiamento sem ter o automóvel.

É por essas razões que ter um seguro é fundamental, e o melhor de tudo é que você pode escolher entre diferentes tipos de cobertura, como veremos a seguir.

Tipos de seguro veicular

Existem vários tipos de seguro para automóveis, como os que cobrem danos ao carro ou moto. Aqui, podem ser cobertos incêndios, furtos e roubos, colisões e outras situações que garantem ao segurado uma indenização.

Se você tiver problemas com o funcionamento do carro, pode contar com um reboque para carros de passeio, além de coberturas extras para itens como para-brisa, faróis, retrovisores, kit gás, aparelhos multimídia, chaveiro, automóvel reserva e muito mais.

Também existe um tipo de seguro que cobre danos ao motorista e aos passageiros, visto que alguns acidentes podem ter consequências mais graves.

Esse padrão de seguro cobre despesas médicas e hospitalares, invalidez permanente e até mortes. Portanto, é uma maneira de proteger a si mesmo e a todos no trânsito.

Ainda, é possível optar pelos seguros que cobrem danos a terceiros, que se enquadram na categoria de Responsabilidade Civil Facultativa Veicular (RCF-V).

Esse seguro cobre qualquer tipo de dano corporal, material ou moral às pessoas que se envolveram em um acidente.

São situações que podem ocorrer com qualquer tipo de condutor, mesmo aqueles que já passaram pelo processo de tirar cnh definitiva.

Então, caso você precise arcar com os danos do acidente provocado por você (segurado), a seguradora é quem fica responsável pelas despesas, incluindo o pagamento de advogados e processos judiciais.

No entanto, é importante ressaltar que o pagamento das coberturas só será válido se o condutor respeitar as regras de trânsito e do próprio contrato, por exemplo, não permitindo que pessoas que não estão na apólice dirijam o veículo.

Benefícios do seguro para automóveis

Existem muitas vantagens para os motoristas que contratam um seguro de carro, assim que compram o bem ou fazem emplacamento de veículo. Dentre as principais:

1 – Maior tranquilidade

Este, sem dúvidas, é o maior benefício para quem contrata um seguro automotivo. Nada como dirigir tranquilo e saber que tanto você quanto o seu veículo estarão protegidos de muitas situações imprevistas.

Não apenas o motorista, como também os passageiros poderão circular com o automóvel tranquilamente, sem se preocupar com possíveis contratempos.

2 – Ressarcimento em casos de roubo ou furto

Comprar um automóvel, para a maioria dos brasileiros, requer muito esforço, o que significa que sua perda é um grande prejuízo.

Um seguro te protege de roubos e danos sérios ao seu carro, evitando que você perca totalmente o seu bem por conta das mais variadas situações.

3 – Situações de reboque

Por mais que as revisões veiculares estejam em dia, os carros podem apresentar algum problema que paralisem seu funcionamento ou que não possam ser resolvidos no local do acontecimento.

Nesses casos, é necessário contar com um reboque, um serviço caro que muitas vezes pega os motoristas desprevenidos. O seguro pode arcar com essa despesa e evitar que você precise pagar por ela.

4 – Proteção contra fenômenos naturais

O seguro também apoia seus contratantes em ocorrências que fogem totalmente do controle, como chuvas, enchentes, vendavais, quedas de árvores, entre outras.

Por mais que o motorista seja prudente e conheça um bom chaveiro automotivo 24 horas, as catástrofes naturais acontecem repentinamente e podem causar grandes estragos e prejuízos aos automóveis.

5 – Proteção durante as viagens

Você pode contratar um seguro de abrangência nacional, ou seja, independentemente de onde você esteja com seu carro dentro do país, poderá contar com o respaldo da seguradora.

Portanto, quem gosta ou tem a necessidade de viajar com frequência, precisa contar com a segurança desse serviço, afinal, tanto na estrada quanto no destino você terá todo o apoio que precisar.

Conclusão

Ter um carro ou uma moto é uma necessidade hoje em dia, visto que ele torna o nosso cotidiano muito mais prático. Mesmo que você use muito pouco, cada vez que precisa dirigi-lo, pode correr um risco diferente.

Então, o melhor é não arriscar e proteger o seu veículo contra qualquer imprevisto que possa aparecer em seu caminho. Basta escolher o melhor tipo de seguro para você e aproveitá-lo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

6 perrengues que você já pode ter passado em uma viagem de carro (e como evitá-los)

As viagens de carros são uma das alternativas mais seguras atualmente. Se você está pensando em fazer uma, acompanhe este artigo e veja 6 perrengues que você já pode ter passado em uma viagem de carro (e como evitá-los).

Estamos vivendo uma pandemia e, apesar de ainda existirem restrições sociais, algumas situações como viagens de carro já são possíveis. Fora essa questão, as viagens de carro promovem muito mais conforto em relação à mobilidade no destino, por isso, elas são constantemente escolhidas por pessoas que gostam de viajar.

No entanto, existem algumas situações em viagens de carro que, futuramente, até poderão render histórias engraçadas, mas quando acontecerem deixarão você em maus lençóis. 

Para te ajudar a prevenir essas situações, preparamos um artigo com os 6 perrengues que você já pode ter passado em uma viagem de carro (e como evitá-los). Acompanhe.

Veja 6 perrengues que você já pode ter passado em uma viagem de carro (e como evitá-los)

  1. Piriri na estrada

Certamente esse pode ser um dos piores perrengues quando o assunto é uma viagem de carro, afinal, é possível que você tenha longas distâncias entre um posto com banheiro e outro e, acredite, por mais que seja possível, fazer suas necessidades em um matinho, na beira da estrada, não é nada legal.

Para evitar esse tipo de perrengue, o primeiro passo é resistir às delícias de procedência duvidosa que você encontrar pelo caminho, e isso vale para a água também. Muitas bactérias podem se desenvolver nela, então evite tomar água de qualquer torneira.

Por isso, se você for fazer uma viagem de carro mais longa, providencie lanches e uma água de boa procedência para o percurso.

  1. Carro parado no meio do caminho

Todo mundo sabe que fazer uma boa revisão no carro, verificando inclusive pneus e estepe, é fundamental antes de pegar a estrada. No entanto, por mais cauteloso que você seja, nunca se sabe o que podemos encontrar pelo caminho.

Ter o pneu furado em um lugar ermo e escuro pode ser incrivelmente assustador e perigoso. Você não vai gostar de reproduzir uma cena de filme de terror no meio do nada em uma estrada.

Por isso, além de ter um bom estepe, e todas as ferramentas necessárias para a troca do pneu, ou mesmo qualquer reparo rápido necessário é essencial. Além disso, vale a pena contar com um seguro auto com uma assistência 24 horas, pois assim, caso um imprevisto mais sério aconteça, você terá o suporte necessário.

  1. Mantenha as crianças entretidas

Para quem vai viajar de carro com crianças, é fundamental pensar em maneiras de mantê-las entretidas. Isso garantirá que gritos, choros e brinquedos voando não transformem seu carro em um hospício com rodas.

Existem muitas maneiras de garantir esse entretenimento, tablets com jogos, filmes e desenhos, e acessórios que permitem aos pequenos desenharem e realizarem outras atividades dentro do carro, são os mais comuns.

  1. Clima inesperado pode ser um problema

Pode até não parecer, mas uma situação climática inesperada pode ser um sério problema em uma viagem de carro. É comum no Brasil tempestades fortes com muitos raios e ventos, e acredite, passar por uma na estrada é extremamente assustador.

Para evitar esse tipo de problema, vale a pena dar uma olhada na previsão do tempo, tanto do seu destino, como dos locais por onde você passará até chegar nele. 

  1. Dormir no carro é uma péssima ideia

Se você fizer uma viagem muito longa, com dias de duração, a ideia de dormir no carro em um primeiro momento parecerá interessante, mas acredite, ela não é. Nem mesmo o MacGyver seria capaz de encontrar uma posição confortável e um clima agradável dentro do veículo para passar a noite.

E uma noite mal dormida é uma péssima ideia para quem vai dirigir um dia inteiro. Por isso, a menos que você esteja viajando em um motorhome, procure hotéis de beira de estrada para passar a noite. Isso lhe garantirá um descanso adequado e um banho quente.

  1. Nem todos os lugares aceitam cartão

Está cada vez mais comum encontrar pessoas que não andam com dinheiro em espécie na carteira. Se você é uma dessas pessoas, é importante saber que nem todos os lugares aceitam cartão. Os pedágios, por exemplo, se você não tiver o “sem parar” no seu carro, e nenhum dinheiro vivo, correrá o risco de ficar parado.

Por isso, além de fazer um planejamento financeiro antes da sua viagem, tenha uma reserva de dinheiro na carteira, ou na meia. Com isso você poderá evitar esse e outros perrengues.

Esses são apenas 6 perrengues que você já pode ter passado em uma viagem de carro (e como evitá-los). Vale a pena, antes de pegar a estrada, que você sente e faça uma lista com todas as possibilidades que a sua viagem pode trazer, assim, você viajará muito mais tranquilo.

Por Jeniffer Elaina.

A importância de aprender a falar Inglês

Hoje em dia, falar inglês deixou de ser um luxo e tornou-se uma necessidade para qualquer um que busca comunicar-se com pessoas de todo mundo ou até mesmo conquistar um espaço no mercado de trabalho.

A importância é tamanha em falar um novo idioma que hoje a existência de uma escola bilíngue infantil se tornou comum em nossa sociedade.

O consumo do brasileiro em relação à língua inglesa é constante, indo desde o lazer, com músicas e filmes, até documentos técnicos e reuniões internacionais. Por isso, dedicar-se a aprender e tornar-se fluente no idioma é fundamental.

O inglês, atualmente, pode ser considerado uma língua universal. Esse é o idioma mais falado, sendo 1 bilhão de fluentes ao redor do mundo, e as chances de você conseguir se comunicar utilizando-o são grandes em qualquer país.

É uma língua que, aos poucos, foi perdendo sua nacionalidade e tornando-se um fenômeno cultural, considerada a língua dos negócios e da profissionalização, das viagens e do lazer.

Inclusive, a origem da língua é menos impactante do que a sua utilização nos mais variados meios.

É importante ressaltar que hoje em dia, desde pequenas, as crianças já são incentivadas ao aprendizado de um novo idioma.

Em ambientes como em uma creche berçário já começa-se a difundir os dois idiomas, da língua portuguesa e inglesa, para criar na criança a familiaridade com os sons e fonemas específicos do inglês, impactando o aprendizado no futuro.

Portanto, em países com taxas de analfabetismo mais altas, como é o caso do Brasil, o inglês assume uma importância ainda maior. 

Isso porque torna-se um diferencial competitivo de mercado, principalmente em empresas que dependem do idioma para funcionar, como é o caso de multinacionais.

A globalização levou o mundo inteiro a falar o inglês, pela facilidade de aprendizagem do idioma e a quantidade de países que o utilizam. Por isso, a fluência tem se tornado cada vez mais uma necessidade do mercado para engajar melhores cargos e funções.

Pensando nisso, compreender as nuances do idioma traz uma série de benefícios para qualquer estudante, como iremos conferir a seguir.

Mesmo para crianças pequenas, uma creche bilíngue pode ser um excelente meio de iniciar o processo de aprendizagem, preparando o jovem para um ensino mais formal no futuro e facilitando elementos, como o vocabulário.

A importância do inglês no mundo profissional

Hoje em dia, o inglês não é mais um diferencial para a contratação de um profissional. É um requisito básico. A maioria das áreas utiliza uma série de aplicativos, programas e ferramentas que precisam do conhecimento na língua inglesa para operação.

Além disso, cada vez mais as pessoas estão engajadas em contatos internacionais. Seja em empresas com sede em outros países ou aquelas que fazem negócios e parcerias, é fundamental que a comunicação seja fluida e agradável para ambas as partes.

Ter um bom conhecimento da língua inglesa, bem como de sua fluência pode permitir ainda que a empresa requisite você para viagens ao exterior, para realizar treinamentos e negociações.

Isso permite um alavancamento de sua carreira, conseguindo resultados ainda melhores tanto profissional, quanto pessoalmente.

Para contratar um stand para evento em uma feira internacional, suas habilidades de idioma podem ser colocadas à prova. Saber falar inglês é essencial para lidar com prestadores de serviços e vendedores de outro país.

A língua inglesa é o principal idioma em mais de cinquenta países. Por isso, estar conectado com o idioma é uma grande oportunidade para você se tornar o profissional que sempre desejou ser.

Além do mais, ter o inglês como língua fluente proporciona diversos outros benefícios, entre eles:

1 – Fácil aprendizado

A fluência em inglês faz você estruturar seu cérebro para pensar em dois idiomas ao mesmo tempo. Quando você começa a falar inglês, automaticamente começa a pensar em vocabulário e expressões na língua, permitindo uma absorção melhor de conhecimento.

Isso permite que você exercite seu cérebro para conquistar mais informações relevantes para estudar.

Além disso, existem materiais que só podem ser encontrados em língua inglesa. Esse tipo de barreira se abre quando você decide utilizar seu conhecimento no idioma para ampliar seus estudos.

Você pode unir outras paixões com o aprendizado da língua. Se você tem interesse em fazer aula de canto iniciante, pode unir isso ao inglês, estudando módulos de músicas americanas, treinando ao mesmo tempo a voz e a língua estrangeira.

Vale ressaltar que hábitos de leitura podem ser grandes aliados do aprendizado.

Quando você opta por ler um livro de língua estrangeira, também se propõe a adquirir uma cultura diferente, enquanto treina seu conhecimento básico no idioma e consegue absorver melhor o conteúdo apresentado.

2 – A comunicação se torna mais fácil

A comunicação é a maior ferramenta do mundo. Viver em um mundo conectado permite a interação entre pessoas de todo o planeta, 24 horas por dia, todos os dias da semana. Para conversar e interagir com estrangeiros, aprender a língua inglesa torna-se fundamental.

Isso porque a internet funciona quase inteiramente baseada no inglês. Indivíduos de diversas partes do mundo utilizam a língua para terem maior certeza de que a sua mensagem chegará a um maior número possível de pessoas, tornando-se muito mais popular.

Até mesmo um nutricionista esportivo poderá se comunicar muito melhor com atletas se souber um idioma que seja comum dentre o esporte em si.

Inclusive, um excelente caminho de aprendizagem nesse aspecto é o intercâmbio.

Neste caso, o estudante passa um período morando em um país de língua estrangeira, tendo que se comunicar no idioma local para conseguir realizar suas tarefas básicas, como se alimentar e fazer compras.

Consequentemente, esse contato direto com pessoas nativas ajuda um aluno a se tornar proficiente com a língua, principalmente na questão de comunicação. O diálogo torna-se mais fluido, resultado da convivência com pessoas que falam o idioma naturalmente.

Além disso, algumas das maiores e melhores universidades do mundo são de língua inglesa.

Ter acesso e oportunidade de estudar em uma dessas universidades requer o conhecimento avançado na língua inglesa, tornando o aprendizado fundamental para alcançar novos patamares de sucesso profissional.

3 – Conhecimento da cultura popular

Grande parte de nosso mercado de consumo recebe influência direta de países de língua inglesa. 

A maioria das músicas que tocam na rádio, filmes e seriados que são apresentados nas TVs, cinemas e serviços de streaming, jogos de videogame, entre outras fontes de lazer e diversão.

Portanto, compreender a língua permite um maior entendimento sobre o que estamos consumindo.

Entender a letra de uma música para identificar se ela realmente chama a sua atenção ou se tem algum tipo de conteúdo inadequado, ou que não se encaixe em sua linha de pensamento, só é possível com a compreensão do idioma no qual a música é cantada.

Além do mais, é possível consumir produtos legendados antes de seu lançamento. Muitas plataformas de streaming já contam com a possibilidade de oferecer filmes e séries sem uma legenda ou dublagem brasileira.

Um criador de cartão de visitas engenheiro civil que tem referências à cultura pop, por exemplo, precisa identificar se essas referências são realmente interessantes para sua função em especial.

Mesmo que haja legenda ou dublagem, você pode começar a assistir os filmes e séries no idioma original para praticar seu vocabulário e sua dicção, repetindo frases e expressões como forma de treinamento.

4 – Mantém o cérebro ativo

A utilização de um idioma e seu aprendizado é uma ótima maneira de engajar seu cérebro e praticar o uso da memória. 

Com o tempo, costumamos começar a ter mais fragilidade com relação a nossa mente e nossa memória, principalmente quando adultos.

Entretanto, aprender um segundo idioma pode ajudar a engajar o seu cérebro, instigando-o a funcionar de forma mais ativa pela busca constante de palavras e vocábulos. Esse tipo de proteção é fundamental para uma tranquilidade maior quando a idade começa a avançar.

5 – Possibilidades de viajar para o exterior

Viajar transforma-se em uma tarefa muito mais satisfatória com a tranquilidade de conhecer o idioma do local que você pretende visitar. 

Saber inglês é fundamental para uma experiência mais completa e interessante em um país de língua nativa inglesa, uma vez que você será capaz de:

  • Ler cardápios;
  • Pedir informações;
  • Conversar com autoridades;
  • Utilizar transporte público.

Viajar para um local onde você consegue se comunicar usando o idioma é uma grande vantagem se você pretende viver como um habitante local. Não há necessidade de guias para pontos turísticos e passeios.

É importante ter em mente que o planejamento para esse tipo de viagem é fundamental. Isso porque saber falar o idioma local não o torna conhecedor dos arredores.

Estude os pontos turísticos que tem vontade de visitar, quais passeios, bares e restaurantes quer fazer e conhecer.

Considerações finais

Além de todas as vantagens mencionadas, falar inglês te permite se conectar com locais, fazendo novas amizades e compreendendo toda uma nova cultura que pode ser explorada durante uma conversa com algum estrangeiro ou uma viagem.

Mesmo que você viaje a negócios, o aluguel de uma sala reunião é muito mais fácil se você souber o idioma que precisa negociar.

Nos dias atuais, é impossível pensar em uma vida sem a influência da língua inglesa. 

Por isso, busque a melhor forma de estudar para você, seja através de um curso formal ou estudando um pouco a cada dia em casa, e tenha essa ferramenta do idioma sempre à sua disposição.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

6 dicas para planejar uma viagem de carro

Uma viagem de carro, sozinho ou com a família, pode ser uma boa oportunidade de conhecer novos lugares de maneira prática e financeiramente acessível.

Quem olha de fora pode até mesmo achar trabalhoso, mas com o planejamento correto, é possível fazer uma ótima road trip.

Mesmo que para muitas pessoas seja mais viável viajar de avião ou de ônibus, justamente por não ter a responsabilidade da condução, a viagem de carro mostra-se como uma oportunidade para se aventurar e conhecer novos lugares e culturas.

Além disso, a viagem de carro pode trazer maior autonomia para decidir se é interessante ou não passar por outras localidades que estavam fora da sua rota. 

Por exemplo, se você tem um destino final em mente, é possível passar por muitas outras cidades até chegar onde você deseja, conhecendo mais lugares do que você iria conhecer se estivesse em outro tipo de transporte, como em um avião.

Pensando nisso, elaboramos esse artigo com dicas para você realizar com tranquilidade uma viagem de carro. Acompanhe a leitura!

Preparativos para a viagem

Diversos pontos devem ser levados em conta. A vantagem de uma viagem feita por empresas especializadas é que você, como cliente, terá um auxílio e uma estrutura para que não se preocupe com questões básicas, como a troca de óleo carro.

Ao considerar a viagem de carro, você estará no controle de toda a organização para fazer com que essa viagem aconteça, ou pelo menos estará participando de todo o planejamento com amigos e parentes, esquematizando para que tudo saia como o desejado.

É preciso lembrar de questões essenciais, que envolvem desde a estrutura do veículo que será usado, como a garantia de possuir um serviço de reboque para carros de passeio, até possíveis interferências relacionadas à saúde das pessoas da viagem, por exemplo.

Essas e outras questões têm a necessidade de serem pontuadas antes de colocar o pé na estrada, afinal, na maioria das rodovias, em especial as brasileiras, não existem muitos pontos de ajuda ao longo do caminho no caso de emergências e necessidades.

Para que você tenha em mãos o que for necessário, faça um checklist completo de tudo o que precisa ser providenciado e pensado antes da viagem, para que ela seja uma experiência incrível.

viagens
Fonte da imagem: Pexels.

É compreensível que existam mais questões a serem pensadas, algo que depende inteiramente da maneira de cada pessoa e destinos escolhidos. 

Mas essas indicações, além de úteis, são básicas para qualquer viagem de carro:

1 – Triagem do veículo 

Em uma viagem de carro, o veículo será não apenas um meio de transporte, mas também servirá como uma espécie de casa ao longo do caminho, onde além de guardar vidas, servirá para armazenamento de outros itens.

Como dito anteriormente, nem todas as estradas brasileiras disponibilizam postos de gasolina ou pontos de ajuda. É possível que, caso seu carro sofra algum problema em uma localidade afastada, a ajuda demore muito a chegar.

Por isso, antes mesmo de planejar sua viagem, comece pensando em um check-up do seu veículo em uma oficina, providenciando a verificação dos seguintes itens de segurança:

Verifique o estado da bateria, coloque água e gasolina antes de dar a partida, veja como estão outras questões relacionadas ao funcionamento do carro e, principalmente, tenha todas as regularizações necessárias para que você possa conduzi-lo.

Outro ponto a ser verificado é uma possível necessidade de guincho, em casos de problemas durante o percurso, como estouro de pneus, batidas e outras situações.

Se você tiver um serviço de seguro, é importante verificar a área coberta pelo plano. Se você estiver a 30 km da sua cidade, por exemplo, é possível que você não possa ser atendido. Tudo depende do seu plano, que é algo a ser visto com antecedência.

Caso opte por alugar um carro, é interessante que, além de providenciar todos os itens discutidos acima, procure por uma higienização interna automotiva, para garantir que o veículo esteja limpo e em boas condições para a viagem.

2 – Utilize mapas e aplicativos

Antigamente, em viagens de carro, eram comuns os usos de mapas, grandes papéis dobráveis que indicavam os caminhos em estradas e vias de tráfego na localidade desejada, algo que, apesar de prático, causava alguns problemas de localização.

Hoje é possível encontrarmos diversas possibilidades de aplicativos, além de aparelhos GPS, que conduzem o motorista ao destino final, geralmente utilizando os melhores caminhos, sempre avisando quando há uma sinalização de trânsito horizontal na pista.

É importante usar, se possível, as duas modalidades de localização. Isso porque, em alguns locais em meio de estradas, sinais de internet e conexão diversa acabam falhando, o que deixa o mapa sempre como uma boa alternativa.

Antes de ir para o seu destino, entenda quais os melhores caminhos, saiba os trajetos que você não deve fazer e previna-se, por exemplo, para passar por pedágios ou até mesmo barcas, no caso de locais com acesso por meios fluviais.

3 – Providencie itens de higiene e alimentação

Antes de cair na estrada, é interessante dar uma volta em um supermercado do seu bairro e fazer compras básicas relacionadas à produtos de higiene e limpeza, além de alimentação, como um bolo de milho fofinho, águas e doces.

Independente do caminho que você fará, é possível que você sinta fome, além de que, geralmente, as lojas de conveniência no percurso podem ser mais caras e não costumam trazer muitas opções de comida.

Dependendo de quanto tempo você passar viajando, é interessante estocar mais alimentos, sempre relacionando a quantidade com o número de pessoas que estarão no veículo.

Porém, durante o caminho é possível encontrar postos e restaurantes que oferecem diversos tipos de comida e lanches, desde mini hambúrguer artesanal até pratos feitos.

Opte também por frutas, pães, legumes e outras possibilidades mais leves, além de água e sucos. Se você for o motorista, lembre-se de se alimentar bem e beber bastante líquido antes da viagem, afinal, isso pode te ajudar a se sentir bem durante o percurso.

Sobre os produtos de higiene, é sempre interessante comprar papel higiênico, sacos plásticos para recolher o lixo, por exemplo, álcool líquido ou gel para limpeza e descontaminação de lugares, sabonetes, entre outros itens.

4 – Tenha um kit de primeiros socorros

Em uma viagem, tudo pode acontecer, e se tratando de uma viagem de carro, existem inúmeras possibilidades que podem levar a uma emergência em locais isolados e distantes de atendimento rápido.

Por isso, é essencial incorporar à organização da viagem uma caixa ou bolsa com medicamentos e itens relacionados a cuidados, como gazes e band aid.

Pelo fato da viagem acontecer em um carro, passando por vias que provavelmente contenham subidas, descidas e buracos, o mal estar de alguém em um veículo pode ser ainda mais elevado. Por essas e outras, prevenir é melhor do que remediar!

5 – Estabeleça locais de parada

Digamos que você decidiu fazer uma viagem em direção a uma cidade, e que o total do tempo dirigindo passa de 24 horas. Independente da quantidade de motoristas, é interessante que sejam pensados em locais para pausa, como hotéis e pousadas.

Essa questão é importante dentro de um planejamento de viagem, porque além de ser um gasto a ser pensado no orçamento, é algo que reflete na escolha do lugar de estadia momentânea e também na aquisição de itens a mais, como saco de dormir para bebê e para você.

Pense ainda que, ao parar em um local, você também precisa pensar no estacionamento do veículo. Pergunte com antecedência para o estabelecimento que será utilizado se é possível estacionar gratuitamente, ou então pagar um preço de tabela.

6 – Separe documentos importantes

Em uma viagem de carro você provavelmente vai fazer travessias em fronteiras municipais, o que leva à solicitação das autoridades por documentos, tanto os seus quanto os do veículo.

Para evitar dores de cabeça ou até mesmo o cancelamento da viagem, tenha sempre esses documentos em mãos, de preferência em ótimo estado de conservação e dentro da validade disponível pelos órgãos.

Pensando nisso, você vai precisar levar a carteira de habilitação, além do documento do carro.

Além do mais, leve consigo pelo menos dois documentos de identificação, como RG e CPF, e peça o mesmo de todos os presentes dentro do carro, em especial crianças e adolescentes, ainda mais se alguma delas estiver viajando desacompanhada dos pais.

Tudo pronto para cair na estrada

Com todas as dicas aqui abordadas, chegou o momento de você providenciar todas as precauções necessárias para cair na estrada e fazer uma viagem de carro perfeita.

Lembre-se sempre de que, para todas essas soluções, é preciso desembolsar determinada quantia, além de ser necessário ter dinheiro em mãos para emergências em localidades distantes.

Ademais, não esqueça de respeitar as normas de trânsito de cada local por onde você está passando, tendo sempre a consciência de que se você não conhece a estrada, é importante seguir em velocidades razoáveis, além de nunca fazer ultrapassagens.

Então, está pronto(a) para a sua road trip?

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Saiba como ir bem em uma entrevista de emprego

A entrevista de emprego é uma das etapas mais importantes de um processo seletivo, visto que é o momento em que os recrutadores podem conhecer mais sobre você, observar o seu comportamento e fazer perguntas mais detalhadas, que não aparecem no currículo.

Por esse motivo, devemos encarar a entrevista como algo decisivo. Afinal de contas, muitos candidatos são desligados no processo durante essa conversa, então é preciso convencer o entrevistador que, dentre todos os concorrentes, você é o melhor.

Então, vale a pena se preparar bem – inclusive, psicologicamente. Alimente-se bem (para isso, conte com o auxílio de um bom kit café da manhã), vista uma roupa adequada e saiba o que falar aos recrutadores.

Mas sabemos que isso não é tão simples assim quanto parece. Por esse motivo, o artigo de hoje trouxe algumas dicas de como ir bem em uma entrevista de emprego. Acompanhe a leitura!

Entrevista de emprego
Fonte da imagem: Pexels.

1 – Prepare-se com antecedência

Alguns dias antes da entrevista de emprego, comece a se preparar. Isso ajuda a refrescar sua memória e relembrar situações importantes na sua carreira profissional. O recomendável é que você selecione de 5 a 10 situações de destaque.

Aliás, essa dica é essencial para quem vai passar por uma entrevista de emprego por competência. 

Afinal de contas, o entrevistador poderá fazer perguntas sobre situações passadas, em que você terá que relatar os acontecimentos, como trabalhar sob pressão ou liderar um grupo.

Sendo assim, caso você tenha sido líder em uma empresa de motoboy, por exemplo, vale a pena separar ocorrências em que você precisou mostrar essa capacidade de liderança, como resolver um conflito ou orientar a melhor tomada de decisão.

Com esse preparo, você já terá uma noção do que pode responder ao entrevistador no momento da entrevista, sem ficar “puxando da memória” os acontecimentos.

2 – Busque conhecer a empresa

Caso você esteja pleiteando uma vaga para creche infantil particular, vale a pena pesquisar um pouco mais sobre a escola, onde está localizada, seus valores, público, entre outras informações.

Com esses dados, além de avaliar se você realmente deseja trabalhar naquele ambiente, dá para responder o entrevistador com mais assertividade, levando em consideração exatamente o que a empresa trabalha.

Por exemplo, ao perceber que uma agência de comunicação tem foco em marketing político, você já pode ir para a entrevista de emprego com essa informação e, ao falar de suas experiências, destacar as situações que mais se encaixam no perfil do negócio.

As informações sobre a empresa também te ajudam a convencer os entrevistadores que você é o candidato ideal. Ao saber a localização, é possível destacar o fácil acesso até a empresa, como você irá chegar e se já conhece a região.

3 – Cuidado com a roupa

Você precisa estar bem apresentado para uma entrevista de emprego. Afinal de contas, estamos lidando com um ambiente profissional, em que a vestimenta faz toda a diferença na percepção dos recrutadores sobre você.

Lembre-se que a sua roupa funciona como um cartão de visita pessoal, dizendo muito sobre você, suas atitudes e personalidade.

Não estamos dizendo para você abandonar o seu estilo, mas ter bom senso na hora de escolher as peças de roupa para a entrevista de emprego. Sendo assim, para os homens é recomendável evitar:

  • Bermudas;
  • Chinelos;
  • Bonés;
  • Camisas de futebol.

O melhor é optar por calças jeans em tonalidades neutras. Não é necessário usar terno e gravata, somente se a empresa tiver esse perfil (por exemplo, nos escritórios de advocacia).

Já as mulheres, devem evitar:

  • Saias curtas;
  • Decotes;
  • Maquiagem excessiva;
  • Chinelos.

O ideal é optar por roupas mais sóbrias e estampas discretas, além de uma maquiagem leve.

4 – Demonstre interesse na vaga

Ninguém quer contratar um profissional apático e desinteressado. Ao contrário, a empresa está em busca de pessoas que se identifiquem com a cultura do negócio, tenham interesse na vaga e estejam motivados para trabalhar.

Então é importante falar de suas experiências, mostrar que tem conhecimento sobre a empresa e o cargo ofertado, desenvolvendo uma conversa simpática com os recrutadores.

Evite responder somente “sim” ou “não”, dando respostas incompletas. Isso pode render uma desclassificação no processo seletivo.

Claro que é preciso ter equilíbrio! Não exagere muito também, dando longos detalhes, tornando a entrevista exaustiva.

Uma dica é ter um catálogo de empresas que você já fez entrevista e relembrar quais foram as perguntas mais comuns. Assim, dá para começar o treino em casa, respondendo essas mesmas questões para você mesmo, antes da entrevista.

5 – Caso não tenha experiência, cite outras situações

Essa dica é fundamental para pessoas que estão em busca da primeira vaga de emprego e ainda não têm muita experiência profissional.

Mesmo que você não tenha trabalhado ainda, vale a pena explorar situações que se assemelham ao mercado, como um trabalho de plotagem de projetos na faculdade, organização de eventos familiares, voluntariados, entre outros.

O importante é mostrar aos entrevistadores que você está disposto(a) a se empenhar no emprego e que consegue lidar bem com algumas situações que demandam espírito de liderança, saber trabalhar em grupo e boa comunicação.

6 – Termine suas falas com uma frase de ouro

Na entrevista de emprego, vale a pena terminar as suas falas com uma frase de ouro, destacando algo positivo. Por exemplo, você pode contar que, após uma situação inesperada, tudo se ajeitou e o negócio alcançou destaque no mercado.

Isso acontece porque o entrevistador tende a pegar um “gancho” do que você diz por último. Sendo assim, se foi algo positivo, é bem provável que esse assunto continue rendendo durante a entrevista.

Essa dica é especialmente válida quando a entrevista é baseada nas informações do seu currículo. Por vezes, ao chegar numa sala reunião pequena para o encontro com os recrutadores, a primeira pergunta pode ser “por que você saiu da empresa anterior?”.

Aqui, é válido contar que você estava em busca de crescimento profissional em outros estabelecimentos, ou ser sincero, ressaltando que o negócio teve que fazer alguns cortes e, agora, com todo o seu conhecimento adquirido, você se acha adequado para a vaga.

7 – Demonstre raciocínio lógico

Pode parecer que não, mas muitos entrevistadores fazem perguntas um tanto absurdas para os participantes. Isso é uma tática para saber se os candidatos sabem como usar o raciocínio lógico, mesmo em situações inesperadas.

Esse tipo de pergunta é mais comum em entrevistas para bancos de investimento e consultorias. Além disso, alguns empreendimentos modernos, como o Google e o Facebook, também costumam adotar essa técnica.

Então, se você estiver contando sobre a sua experiência e a próxima pergunta é: “quantos carimbo empresa você acha que tem por aqui?”, não se desespere. É o momento de mostrar que você sabe usar o raciocínio lógico.

Suponha que a pergunta acima tenha sido feita. Você pode argumentar usando a lógica: “bem, se nessa sala tem X carimbos, contando que na empresa há Y salas, então uma regra de três é capaz de resolver essa questão!”.

Percebe? Você não precisa saber a quantidade correta de carimbos, mas com essa resposta acima, já pode demonstrar a sua capacidade de raciocínio lógico.

8 – Não fique “paralisado” nas perguntas

Em alguns casos, esse tipo de pergunta absurda também é feita para “quebrar o gelo” durante a entrevista, principalmente se o recrutador perceber que você está nervoso(a) ou ansioso(a) durante a conversa.

O segredo aqui é não ficar paralisado. Tente manter uma conversa “normal” e amigável com os entrevistadores. Aos poucos, isso vai te ajudar a se soltar mais na entrevista e mostrar todo o seu potencial.

9 – Faça boas perguntas ao entrevistador

Engana-se quem pensa que em uma entrevista de emprego apenas os recrutadores fazem perguntas. Vai ter um momento em que o próprio entrevistador vai perguntar se você tem alguma dúvida, então faça bons questionamentos sobre a empresa.

Muita gente acha que aqui é a hora de conversar sobre o salário. Porém, se o recrutador perceber que você só tem interesse no dinheiro, isso pode gerar uma desclassificação.

Desse modo, volte-se mais para a cultura organizacional, pergunte a rotina de trabalho e demonstre interesse nas atividades do empreendimento.

Conclusão

Passar por uma entrevista de emprego não é fácil, ainda mais para quem está em busca da vaga dos sonhos. É normal ficarmos nervosos e ansiosos, porém, devemos sempre nos preparar para uma boa apresentação.

Inclusive, todos os detalhes são importantes na hora da entrevista. Por isso, é necessário nos preparar com antecedência!

O artigo de hoje trouxe algumas dicas de como se preparar bem para uma entrevista de emprego. Assim, você pode se acalmar antes do grande momento e se destacar da concorrência, alcançando o sucesso na carreira profissional.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Rolar para cima