Altair Fonseca Rio Claro RJ

Altair Fonseca Rio Claro RJ

A misericórdia de Jesus transforma vidas e você pode experimentar

Talvez você se considere uma pessoa cheia de pecados, e por isso, indigna de se aproximar de Deus. Mas Jesus te fala que está de braços abertos e que Sua misericórdia é infinita, ou seja, não importa o que você tenha feito, Ele te perdoa e te acolhe. Basta que você abra o seu coração e arrependa-se para buscar uma vida nova em Cristo. Esse tesouro da Divina Misericórdia está disponível para nós. Você quer experimentar?

Veja também:

Ninguém te ama como Jesus

Você pode procurar em qualquer lugar, mas nunca vai encontrar alguém te ama como Jesus. Infelizmente, muita gente passa a vida inteira buscando esse amor no lugar errado, o que gera apenas dor e sofrimento.

Aos machucados, feridos, dilacerado, aos que precisam de cura e perdão dos seus pecados, Jesus está de braços abertos e oferece seu amor misericordioso. Basta abrir o coração para experimentar essa dádiva.

O vídeo a seguir é a gravação de uma pregação que fiz no Grupo de Oração Fonte de Água Viva, do qual participo em Rio Claro/RJ. Assista:

A misericórdia de Jesus transforma vidas

Pessoas ingratas não evoluem espiritualmente e nem percebem as graças de Deus

Gosto de compartilhar minhas falhas e limitações nos quadrinhos para conversar com as pessoas nas redes sociais e também gosto de fazer perguntas para que meditemos juntos. Ao ler o Livro da Vida, de Santa Teresa d’Ávila, percebi que a Santa se acusa de maneira bem dura em faltas bem menores que as que eu cometo todos os dias. Essa Doutora da Igreja, ao perceber de onde Deus a tirou, nunca mais parou de louvar, adorar e agradecer Aquele que é o único digno de todo o nosso afeto.

Veja também:

A gratidão nos permite ir além

Todo milésimo de segundo é um milagre de Deus em nossa vida. Nenhum tempo de nossa história é ruim. Mesmo nos momentos mais difíceis da vida, o tempo concedido por Deus é uma bênção, e de um mal Ele pode tirar um bem.

Nas noites escuras, descobrimos a luz! Às vezes, dizemos que esta ou aquela época da nossa vida foi melhor ou pior. A verdade é que todas as épocas são boas, pois, em todos os momentos, a mão de Deus está presente. Em todas as situações, a misericórdia divina nos sustenta. E quanto mais tomamos consciência desta graça, mais somos movidos e tocados no íntimo do nosso coração, para dizermos e cantarmos: “obrigado, Senhor”!

Quando percebemos o que o Senhor faz por nós a cada dia, quando olhamos para trás e nos damos conta de que tudo contribuiu para o nosso crescimento, quando sentimos a presença de Deus em tudo isso, aprendemos a ser gratos. E através da gratidão, temos maior consciência da ação de Deus e abrimos as portas para novas e extraordinárias graças.

A vida é um verdadeiro conjunto de mistério, milagre e graça. Pois, ao começarmos a observar a beleza e a perfeição da natureza humana, é impressionante notar como Deus pensou em cada detalhe para criar a humanidade. Faz-nos bem contemplar a criação, sobretudo a do homem e da mulher. Observemos os sentidos, a corrente sanguínea, as juntas, os ossos, os nervos, os membros, os órgãos vitais; enfim, tudo é digno de admiração.

É mais admirável ainda porque Deus ficou encantado com a obra d’Ele e “viu que tudo era muito bom” (Gn 1,31). Nós somos imagem e semelhança do Criador. E se Ele se admirou, nós também somos chamados à contemplação e admiração da obra divina. Nessa contemplação, somos conduzidos ao respeito e ao cuidado, e esta imitação do Senhor nos impulsionará sempre na direção da defesa da vida em toda e qualquer circunstância.

Um puxão de orelha com muita classe, por São João Maria Vianney

Você tem ouvido a voz de Deus na situações cotidianas? Muitas vezes damos ouvidos a tantas vozes que nos roubam a felicidade, mas somos surdos ao chamado de Deus. São João Maria Vianney chorava e fazia penitência pelos pecados da humanidade. Vamos saber um pouco mais sobre ele?

Veja também:

O Santo Cura d’Ars

João Maria Batista Vianney também é conhecido como o Santo Cura d’Ars foi um sacerdote francês, canonizado pela Igreja Católica. Foi nomeado padroeiro dos Párocos em 23 de abril de 1928.

O santo tinha um jeito todo especial de trazer as ovelhas perdidas de volta, e entregava grandes sacrifícios e penitências pela salvação das almas.

Aquele que, incialmente havia sido impedido de administrar o sacramento da confissão, tornara-se o maior confessor da história. Diariamente, filas enormes se formavam diante do confessionário da igreja e o Pe. João passava horas a fio atendendo a todos, muitas vezes, sem comer. Por muitas e muitas vezes, passou dias inteiros sentado no confessionário atendendo os corações aflitos em busca de orientação e libertação. E todos saiam transformados daquele confessionário.

A frase que inspirou o quadrinho que abriu esse artigo está no livro O Santo Cura d’Ars, de Francis Trochu.

Eu faço o que quero e ninguém manda em mim, mas faço muito mal a mim mesmo

Muita gente sem se orgulhado com muita vaidade sobre se dono de si mesmo. “Meu corpo, minhas regras” e outros gritos de independência estão na boca de pessoas que não aceitam conselhos dos mais experientes e querem fazer tudo do seu jeito. O problema é que, dessa forma, muitas atitudes precipitadas são tomadas e os erros e pecados vão se acumulando. Por que falo isso? Porque foi o que aconteceu comigo.

Veja também:

O orgulho de defender o meu erro até o fim

Na cultura do ódio, tornou-se habitual criar uma opinião (muitas vezes sem base) e defendê-la até o fim, sem ouvir pessoas e instituições que possuem credibilidade. Quando desprezamos os valores mais indispensáveis e nos afastamos da vontade Deus, sempre caímos em um grande vazio e nos afundamos no erro.

Em determinada época da minha vida, eu dizia “faço o que quero”, sem perceber que vivia na prisão dos vícios e do pecado. Eu não fazia o que queria, mas fazia coisas impensadas, sem nenhum sentido, em busca de uma alegria que durava pouco. Para me tirar dessa condição, só mesmo o toque da graça de Deus. Você já teve a sensação de um grande vazio e falta de sentido? Conhece alguém que busca a felicidade em coisas que não têm valor?

Nunca vi alguém alcançar uma vitória através da reclamação

A reclamação embaça a visão para tudo o que é bom, inclusive não permite que você perceba e receba as graças de Deus na sua vida. A pessoa “reclamona” transforma até uma coisa boa em algo ruim, pois sempre está insatisfeita. Eu nunca vi alguém alcançar uma vitória verdadeira através da reclamação, e você?

Veja também:

Ninguém alcança uma grande vitória através da reclamação

Pessoas mimadas, que costumam tentar esconder a sua falta de empenho, ou que estão de mal com a vida, costumam reclamar de tudo e de todos. Tudo bem que todos nós temos a tentação de reclamar de algo em algum momento, já que coisas ruins acontecem para todos. O problema é ser uma pessoa que só enxerga o lado ruim até de coisas que são boas. Quem faz isso, perde as graças de Deus e perde a capacidade de dar valor no que realmente importa.

Em vez de reclamar, vamos agradecer. Quando algo estiver indo mal, tentemos enxergar oportunidades e soluções, mas não simplesmente abrir a boca para falar todo o tipo de coisa negativa. Em vez de dar lugar ao desespero, depositemos nossa fé em Deus!

Rolar para cima